Desempenho Ambiental

GRI EN26

GRI EN30

Em linha com a Política sobre Sustentabilidade da Organização Odebrecht, a Odebrecht Agroindustrial emprega as melhores tecnologias de plantio, colheita e de processo industrial para aumentar a produtividade e potencializar os impactos positivos de sua atuação sobre o meio ambiente. Nesse sentido, norteia sua atuação por práticas e tecnologias que minimizem a utilização de recursos naturais, que protejam os solos, os recursos hídricos e valorizem a preservação da biodiversidade, contribuindo para minimizar as mudanças no clima.

Toda sua operação é pautada por diretrizes de Segurança, Saúde e Meio Ambiente (SSMA). Elaboradas na safra 2009-2010 e revisitadas anualmente, essas normas baseiam-se no respeito e no zelo pelo meio ambiente, pela saúde e pela segurança das pessoas, considerando esses aspectos fatores indissociáveis do negócio. Na safra 2012-2013, foram destinados R$ 29,2 milhões para investimentos na área ambiental.

 

  • +
  • +
  • +

 

Investimentos e gastos em proteção ambiental (R$ mil)

 

2011-2012

2012-2013

Tratamento e disposição de resíduos

1.565,7

2.663,2

Tratamento de emissões (exemplo: gastos com filtros, agentes)

138,8

205,6

Despesas com compras e uso de certificados de emissão

0,0

Depreciação de equipamentos específicos e despesas com materiais e serviços de manutenção e operação, além de despesas com pessoal para essa finalidade

5.662,1

6.226,9

Seguro para responsabilidade ambiental

782,5

1.230,7

Custos de limpeza total, inclusive custos com remediação de derramamentos

0,0

Pessoal utilizado em educação e treinamento

68,4

196,4

Serviços externos de gestão ambiental

1.264,3

1.877,3

Pessoal para atividades gerais de gestão ambiental

16.304,0

14.095,3

Pesquisa e desenvolvimento

0,0

Despesas extras para instalar tecnologias mais limpas (exemplo: custo adicional além das tecnologias-padrão)

4.711,0

1.990,0

Outros custos de gestão ambiental

2.336,8

747,3

Total

32.833,6

29.232,7

 

A atuação ambientalmente correta é responsabilidade de todos os Líderes e Integrantes da Odebrecht Agroindustrial, que compartilham os valores estabelecidos nas diretrizes de SSMA. O mesmo compromisso é partilhado com os Parceiros de negócios, que devem adotar políticas de prevenção e controle ambiental e os mesmos padrões de desempenho assumidos pela Empresa.

As Unidades da Odebrecht Agroindustrial possuem seu Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (EIA/Rima) realizado por equipes multidisciplinares que diagnosticaram a situação das regiões onde seriam implantadas as Unidades. Na Unidade Alcídia (SP), o EIA foi realizado por ocasião da sua ampliação, em 2009. Após a identificação desses impactos, é desenvolvido o Plano Básico Ambiental, no qual são descritas as ações para mitigação ou compensação de cada um dos impactos identificados.

 

Gestão de impactos

Aspecto Iniciativas de mitigação
Consumo de recursos naturais (água e energia) A Odebrecht Agroindustrial é praticamente autossuficiente em energia originária de fonte renovável. A água empregada na indústria é reutilizada – o volume de água residuária totalizou 14,7 milhões de metros cúbicos na safra 2012-2013 (64 % do total captado). Não foi utilizada água de cursos naturais para irrigação.
Efluentes A Empresa possui Estações de Tratamento de Efluentes (ETE) em todas as Unidades e não descarta efluentes na rede municipal ou em coleções hídricas, reutilizando-os para irrigação do solo (fertirrigação).
Emissões atmosféricas Contribui para a redução de gases de efeitos estufa (GEE) por meio do plantio de cana-de-açúcar e da produção de combustível e energia limpa. Também realiza inventário de emissões e controle regular e sistemático da eficiência das caldeiras e dos veículos.
Resíduos sólidos Grande parte dos resíduos do processo industrial torna-se insumo em alguma fase do processo produtivo. Na safra 2012-2013, o reaproveitamento da vinhaça totalizou 15,1 milhões de metros cúbicos. Materiais que demandam destinação e descarte fora das Unidades recebem tratamento e disposição final de acordo com as melhores práticas ambientais e as políticas nacionais e estaduais vigentes, bem como programas para sua minimização.
Combate a incêndios agrícolas Treinamento e aculturamento de Integrantes em relação à questão de segurança e proteção ambiental. Projetos de prevenção, combate e mitigação de impactos decorrentes de incêndios agrícolas amplamente disseminados nas nove Unidades Agroindustriais, em ações essenciais para a proteção de pessoas, do meio ambiente e do patrimônio da Empresa, em decorrência da grande extensão de terras e da própria característica da lavoura de cana-de-açúcar e dos períodos de seca. Exemplo é ação realizada pelas equipes do Corpo de Bombeiros e da Brigada de Incêndio na Unidade Rio Claro, decisiva para conter e extinguir o fogo provocado por um raio, que atingiu um tanque de estocagem de etanol, em janeiro de 2013. Não houve vítimas durante o incidente. Na safra 2012-2013 foram identificados 20 inícios de incêndios, dos quais 19 ocorrências (95%) foram extintas sem comprometer a operação ou causar impactos ambientais.