Emissões

GRI EC2

GRI EN16

GRI EN17

GRI EN18

GRI EN20

GRI EN29

A operação da Odebrecht Agroindustrial, desde a sua origem, contribui para minimização das mudanças no clima. A matéria-prima, a cana-de-açúcar, durante seu cultivo, absorve dióxido de carbono (CO2) da atmosfera, auxiliando no processo de neutralização das emissões. O uso do solo vem favorecendo a captura e fixação de CO2. Além disso, o etanol produzido representa o fornecimento de uma energia mais limpa, o que reduza emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) e colabora significativamente na redução de impactos sobre o clima.

Na safra 2012-2013, a Empresa concluiu seu inventário de emissões de GEE, referente à safra 2011-2012, orientada por modelos de cálculo baseados em metodologias desenvolvidas pelas principais entidades ambientais no mundo, como a Environmental Protection Agency (EPA). O cálculo de emissões foi apoiado e realizado por pesquisadores da Universidade de Campinas (Unicamp) e contemplou as nove Unidades Agroindustriais, bem como os escritórios de São Paulo (Eldorado e Villa Lobos) e de Campinas.

O total de emissão de CO2 foi de 990.396 toneladas de CO2eq, o que inclui as emissões de CO2, N2O (óxido nitroso) e CH4 (metano). Entre os dados apresentados no inventário destaca-se o fato de que a Empresa evita a emissão de 2.577.664 toneladas de CO2eq pelo uso do etanol e da energia comercializados. O sequestro de carbono pela mudança no uso do solo (LUC – Land Use Change) totalizou 611.700 toneladas de CO2eq. O saldo total da safra 2011-2012 foi uma captura de GEE na ordem de 2,2 milhões de toneladas de CO2 eq.

No período, teve continuidade o Programa de Segurança Veicular, adotado na safra 2011-2012, cujo objetivo é aumentar a segurança no transporte por meio da instalação de um dispositivo de controle de velocidade, que contribui ainda para a redução no consumo de combustível, maior gestão do ativo, melhor utilização do equipamento e a diminuição das emissões de carbono. O programa atendeu a três categorias de veículos – leves, ônibus do transporte de Integrantes e caminhões canavieiros. Na safra, 96 colhedoras, 389 caminhões de transporte de cana e 421 veículos de frota de apoio (caminhões para transporte de insumo, caminhão-pipa, caminhão-oficina, entre outros) passaram a contar com o dispositivo. Após a instalação, foi observada a queda de aproximadamente 50% no número de acidentes, bem como de emissões de CO2 proporcional à redução no consumo de combustível.

 

{

}

 

Emissões anuais evitadas (t/ano)

CO2 N2O CH4 CO2eq
Eletricidade excedente -400.139 -7 -999 -427.095
Gasolina evitada (anidro) -237.934 -18 -218 -248.690
Gasolina evitada (hidratado) -1.819.621 -136 -1.668 -1.901.878
Total -2.457.694 -161 -2.884 -2.577.664

 

{

}

Emissões evitadas

Captura de CO²

* Luc: Land use change.

 

Emissões monitoradas pelo Programa de Segurança Veicular

  Transporte de Integrantes Veículos leves Transporte de cana-de-açúcar
Mês % de veículos monitorados Emissões CO2 (t) % de veículos leves monitorados Emissões CO2 (t) % de veículos de cana monitorados Emissões CO2 (t)
mai/12 52%                          121,00 54% 0 0 0
jun/12 61%                          401,00 68% 0 0  0
jul/12 85%                          658,00 100% 0 50% 166,00
ago/12 85%                      1.302,00 100% 0 62% 694,00
set/12 85%                          582,00 100% 0 74% 829,00
out/12 85%                          751,00 100% 0 74% 1.330,00
nov/12 100%                          742,00 100% 0 74% 1.078,00
dez/12 100%                          833,00 100% 0 74% 785,00
jan/13 100%                          471,00 100% 0 74% 30,00
fev/13 100%                          318,00 100% 0 74% 0
mar/13 100%                          527,00 100% 0 100% 0
abr/13 100%                          459,00 100% 0 100% 0
mai/13 100%                      1.395,00 100% 0 100% 2.620,00
Total de emissões (tCO2e)                    8.560,00  – 0                                                                      –   8.159,00

Houve emissão de 3.340,98 toneladas de NOX e 2.366,7 toneladas de material particulado no somatório das nove Unidades Agroindustriais, provenientes das caldeiras de geração de vapor.

 

Outras emissões atmosféricas, em toneladas

 

Polo São Paulo

Polo Mato Grosso do Sul

Polo Goiás

Polo Araguaia

Polo Taquari

Total

 

Alcídia

Conquista do Pontal

Eldorado

Santa Luzia

Rio Claro

Morro Vermelho

Água Emendada

Costa Rica

Alto Taquari

 

NOX

322,45

358,02

147,73

458,24

1.117,25

215,04

31,58

483,93

207

3.340,98

Material particulado

170,44

144,64

170,31

510,68

514,73

194,35

18,68

455,58

187,31

2.366,72

Não são medidas as emissões de SOx, não exigidas por órgãos ambientais