Diferenciais competitivos

Tecnologia agrícola
Para impor mais ritmo e eficácia às atividades agroindustriais, a Empresa lança mão do que há de mais moderno em máquinas e equipamentos. Nesse sentido, conquistou avanços importantes em automação durante o período. Entre as ações adotadas, destaca-se a introdução de computadores de bordo em 96 colhedoras, de um total de 284. O aparelho, cuja tecnologia de ponta foi desenvolvida por um parceiro externo, auxilia o operador na leitura dos indicadores das métricas a serem cumpridas no dia, possibilitando um melhor rendimento da máquina. A iniciativa, que será estendida para todas as colhedoras na safra 2013-2014, permitiu uma redução de 8% no consumo de combustível. A expectativa, quando concluída em todas as instalações, é alcançar um ganho líquido da ordem de R$ 10 milhões.

Projeto semelhante de automação foi adotado para rastreabilidade dos veículos de transporte agrícola. Durante a safra 2012-2013, o equipamento foi instalado em 389 caminhões canavieiros e, para 2013-2014, está sendo instalado em mais 421 veículos destinados a outras operações agrícolas (transportes de insumos e de combustível, caminhão-pipa, caminhão-oficina, etc.) Entre outros aspectos, a tecnologia permite controlar a velocidade dos veículos, trazendo ganhos em segurança com a redução de 50% no número de acidentes no período.

Também no período foram adotados dez protótipos de colhedoras de duas linhas – outros dez estão previstos para a safra 2013-2014. A meta é incrementar o rendimento das colhedoras em, no mínimo, 30%. A partir dessa ação, abriu-se a possibilidade de trabalhar com espaçamentos reduzidos. Foi feita uma parceria para desenvolver um implemento de preparo profundo do solo, pensando em um sistema de canterização, a exemplo do que é feito no segmento de horticultura. O objetivo é ganhar em torno de 8% de produtividade agrícola.

No segmento de geração de energia, foi adotado, nas Unidades, um sistema mais eficiente de caldeiras de biomassa, com maior capacidade de geração de vapor, de 67 bar de pressão para 100 bar. No projeto de expansão da Unidade Eldorado (MS) também está prevista a instalação de duas caldeiras de leito fluidizado, com capacidade de 400 toneladas/hora de produção de vapor de 100 bar cada, que permitirão maior eficiência na queima de combustível. As duas caldeiras serão as maiores da Empresa e trarão ganhos expressivos na geração de energia.

Outro projeto de melhoria de eficiência energética que teve início em 2012-2013 é o de separação e recuperação da palha da cana a seco, instalado em três unidades: Alto Taquari (MT), Conquista do Pontal (SP) e Santa Luzia (MS). O processo, que consiste na separação da palha ainda no campo, trará resultados positivos na geração de energia elétrica para a venda no mercado na safra 2013-2014.

Na Unidade de Rio Claro (GO) foi iniciado o desenvolvimento de um projeto de Manejo de Cana Irrigado. O objetivo é melhorar a produtividade agrícola por meio da introdução, até a safra 2016-2017, de um sistema de irrigação por pivô em uma área de cerca de 5 mil hectares. A segunda fase do projeto, prevista para a safra 2013-2014, contempla a instalação dos pivôs em mais 2 mil hectares. A necessidade de irrigação não está diretamente relacionada com as mudanças climáticas, pois existe uma realidade regional com relação ao déficit hídrico estabelecido historicamente no período de maio a setembro. A iniciativa adotada irá transformar potencialmente este cenário adverso.

Um dos maiores desafios da Odebrecht Agroindustrial frente ao processo de automação é capacitar mão de obra. Nesse sentido, foi adquirido, no período, um simulador de colheita para a Unidade de Alcídia (SP). O objetivo é fornecer treinamento adequado aos operadores de colhedora em um ambiente virtual, além de ajudar a diminuir o custo com manutenção das máquinas.


Investimentos em inovação

Projeto Investimento R$
2012-2013
Previsão
2013-2014
Melhoramento varietal 6,0 milhões 11 milhões
Automação de colhedoras (computadores de bordo) 4,2 milhões 4,7 milhões
Rastreabilidade de caminhões 1,1 milhão 639 mil
Colhedoras de duas linhas 1,8 milhão 1,8 milhão
Projeto de irrigação (Unidade Rio Claro)                     – 14 milhões

{

}

EM22052013-0279